6 de set de 2009

Barracas

É raro não acontecer algum contra-tempo numa trilha. Estamos sujeitos a mudanças climáticas, "micro-climas", pequenos arranhões etc mas, o que podemos (e devemos!) fazer neste caso, é minimizar os efeitos causados por estas "pedras no caminho".

A escolha de uma barraca adequada torna-se imprescindível para isso pois, uma boa noite de sono, pode "salvar" seu dia! Para tal, devemos levar em conta alguns fatores como o material, o peso, o tamanho e o modelo.


CANADENSE

Modelo antigo onde a armação é de alumínio ou mesmo ferro e a cobertura de uma espécie de lona impermeabilizada que não resiste a muita chuva e pesa de mais. Totalmente obsoleta e inapropriada para a prática do trekking devido ao seu peso e ao espaço que ocupará em sua mochila.


IGLU

Confeccionada de material sintético, leve e durável, possui armação de fibra de carbono ou fibra de vidro. Leve e prática, geralmente possui duas longarinas que se cruzam em X e sustentam a barraca. Este modelo é o preferido dos praticantes de trekking devido ao baixo custo e poucos volume e peso.
Para as trilhas realizadas no Brasil onde as temperaturas não costumam castigar tanto durante a noite, esta barraca tornou-se ideal para os praticantes de trekking.


TUBULAR


Modelo ainda mais leve e normalmente de material um pouco pais pesado pois estas, foram idealizadas para temperaturas mais baixas. Possui um volume menor o que resiste com mais facilidade aos fortes ventos e a temperaturas mais baixas.

Existem outros modelos de barraca porém, vamos nos ater ao que nos interessa que é o trekking. Por isso não irei me alongar em relação aos demais modelos e sim, as dicas importantes para nossa realidade.

1- Alguns modelos possui sobre-teto total e outros, sobre-teto parcial. É importante estar atento para isso pois todo o "pouco" conforto que conseguirmos será importante. No frio da madrugada, ocorre a condensação devido a diferença térmica. Se sua barraca possui sobre-teto total, estas gotas de água certamente se acumularão nesta parte e irão escorrer para o chão mas, se o sobre-teto for parcial, estas gotas escorrerão pela lateral de sua barraca e, ao menor contato com a pele ou com o saco de dormir, começará a pingar no interior. Uma noite mal dormida pode lhe trazer um dia mal humorado.

2- Na hora de montar, certifique-se de que a barraca encontra-se perfeitamente esticada. Isso é importante pois em caso de chuva ou condensação, não existirão rugas que impedirá o escoamento e certamente, irá vazar para dentro da barraca.

3- Veja sempre a inclinação do terreno. Lembre-se que terrenos baixos podem gerar poças em caso de chuva. O ideal é um meio termo e, se não for uma área própria para o camping, uma saída é improvisar uma pequena valeta ao redor da barraca para o escoamento.

4- Esteja atento a posição do vento predominante se estiver próximo de algum pico ou em terrenos altos. Observe as folhagens. Barraca sempre de lado para os ventos predominantes a fim de oferecer menos resistência.

5- Evite lavar a barraca. E último caso, um pano macio e úmido dá conta do recado.

6- Cuidado com a limpeza interna. Evite areia e mato por dentro pois estes pequenos intrusos podem danificar o zipper e estragar o mesmo.

7- Se você comprou uma barraca nova, monte ANTES da trilha para verificar se os componentes estão todos em ordem. Já fui a uma trilha e na hora de montar acampamento descobrimos que a barraca não veio com o sobre teto. Dormir olhando as estrelas é bom mas, torcer para não chover........